sábado, 15 de agosto de 2009

Diário de Notícias
Saúde

Chegaram 40 médicos cubanos contratados pelo Governo

por LUÍS MANETA

Os centros de saúde do Alentejo, Algarve e Ribatejo vão ser em breve reforçados com profissionais vindos de Cuba e contratados pelo Ministério da Saúde. Bastonário alerta para o perigo da falta de habilitações

Quarenta médicos cubanos chegaram esta semana a Portugal para no final do mês reforçarem os centros de saúde do Alentejo, Ribatejo e Algarve, adiantou ao DN o porta-voz da Administração Regional de Saúde do Alentejo (ARSA), Mário Simões. "Durante os próximos dias decorrerá toda a tramitação burocrática para a inscrição destes profissionais na Ordem dos Médicos", explica o responsável.

Os clínicos da América Latina foram recrutados pelo Governo Português que com eles deverá fazer acordos de um ano renováveis. Fonte Oficial do Ministério da Saúde confirmou ao DN a existência de negociações com diversos países da América Latina, mas diz que ainda não estão fechado nenhum protocolo. Aliás, neste momento, os 40 profissionais estarão em Lisboa a regularizar a situação para obterem o reconhecimento da licenciatura por uma faculdade portuguesa, pois só assim podem realizar acordos com o Estado e exercer no País. O bastonário dos Médicos garante, no entanto, que a solução não é contratar cubanos e avisa que eles podem não ter formação para exercer (ver entrevista).

Já para quem lida com a falta de clínicos, esta solução chega numa boa altura, até porque a gripe A vai aumentar a pressão sobre os serviços médicos.

"O mais provável é que no final do mês esses profissionais estejam em condições de reforçar os quadros dos centros de saúde", diz Mário Simões, assegurando que o Litoral Alentejano e o distrito de Beja estão na "primeira linha" das preocupações pois são as regiões "mais carenciadas" de médicos.

Um dos casos mais graves é o do concelho de Odemira (ver caixa) onde a situação se agrava com a chegada do Verão que faz multiplicar por cinco a população de Vila Nova de Milfontes, Zambujeira do Mar e Almograve, "Todos os anos abrimos quatro ou cinco concursos que ficam desertos pois as pessoas não demonstram interesse em fixar-se na região", diz o porta-voz da ARSA.

O Alentejo é a região com maior decréscimo de clínicos gerais (de Junho de 2006 a Junho de 2008, deu-se uma quebra de 23%), mas o fenómeno é extensível a todo o país, que só tem cinco mil médicos de família. Por isso, há 1,4 milhões de utentes sem esses profissionais. Para além do Alentejo, os cubanos serão colocados no Barlavento algarvio, em municípios dos distritos de Santarém e de Setúbal.

Nos últimos anos, Cuba tornou--se num país "exportador" de médicos. Em Julho, o Governo de Angola anunciou a contratação de 239 clínicos formados na ilha de Fidel Castro.

Enviar um comentário