domingo, 27 de setembro de 2009

JN

Casa construída por mãos solidárias

ANTÓNIO ORLANDO

O exemplo, pouco vulgar nos dias que correm, chega do Marco de Canaveses.

Márcio Barros viu a sua vida mudar radicalmente, no dia 3 de Dezembro de 2004, quando sofreu um acidente de trabalho em Lisboa: um colapso de estruturas fê-lo cair de uma ponte com cerca de seis metros de altura. Ficou tetraplégico, limitado a deslocar-se em cadeira de rodas.

O filho tinha acabado de nascer. Na sequência do acidente, Márcio viveu os três últimos anos internado em hospitais e longe da família. Depois, com a sua situação clínica estabilizada, continuou a viver longe da mulher e do filho. A casa onde vivia, repleta de barreiras arquitectónicas, não lhe oferecia as condições necessárias.

Um grupo de amigos do Márcio, liderados por José Manuel Pinheiro, meteram mãos à obra na logística de criar as condições necessárias para que se construísse uma casa adaptada à deficiência do amigo.

A nova habitação significa uma vida decente para este homem e para a sua família. "Estou feliz", disse Márcio Barros, ao JN, envolto num mar de sentimentos contraditórios. Este não seria o regresso mais desejado. Mas é o possível. A casa com três quartos, uma sala, casa de banho e uma garagem, está equipada com o sistema "B-Live" produto oferecido pela empresa Micro I/O desenvolvido em conjunto com a Universidade de Aveiro e o Centro de Medicina de Reabilitação da Região Centro - Rovisco Pais (CMRRC-RP).

"É uma solução de domótica inovadora destinada à adaptação de casas convencionais, permitindo que pessoas com graves limitações funcionais, por exemplo tetraplégicos, possam controlar com autonomia ainda que limitada algumas funcionalidades da sua habitação (acesso, iluminação, operação de dispositivos)" explica, fonte da empresa. O controlo é feito a partir de dois botões (vermelho e verde) colocados na cadeira de rodas.

Várias entidades privadas e públicas colaboram na campanha: o JN deu nota do caso, o "24 horas" associou-se e o cantor José Cid foi um dos participantes num concerto de solidariedade, entre outros. Actualmente faltam oito mil euros para que o orçamento de 130 mil euros da casa do Márcio seja liquidado. Aceitam-se ajudas.

Na casa nova de Márcio Barros, 30 anos, há uma vista bonita para o lugar do Burgo, Várzea de Ovelha e Aliviada, no Marco de Canaveses. A casa foi erguida, tijolo a tijolo, por um grupo de amigos. Márcio ficou tetraplégico num acidente de trabalho.

Enviar um comentário