quinta-feira, 13 de setembro de 2012

EXPRESSO

Ex-presidente de banco multado e condenado prisão

Joseph Braas foi condenado a 180 meses de prisão por estar envolvido num esquema fraudulento, que causou prejuízos ao Bank of Lancaster County.

Liliana Coelho

O ex-presidente executivo do Bank of Lancaster County, nos Estados Unidos, Joseph Braas, foi condenado a uma pena de 15 anos de prisão e ao pagamento de uma coima de 53 milhões de dólares (41 milhões de euros), pelo envolvimento num esquema fraudulento.

Segundo o FBI (polícia federal norte-americana), a fraude resultou em centenas de perdas de postos de trabalho, além de prejuízos para o banco, o que constituiu uma situação "grave".

Joseph Braas, 46 anos, e outros membros da direção, alteraram contas, falsificaram documentos e ficheiros, tendo contratatado ainda auditores para elaborarem relatórios favoráveis sobre a situação do banco.

Os documentos mostraram que a instituição tinha lucros superiores aos efetivos, estando menos exposta aos riscos, e a perdas de postos de trabalho, lê-se num comunicado do FBI.

"A fraude financeira que conduziu à atual crise não só ocorreu nos grandes bancos e instituições", disse Zane David Memeger, juíz do Tribunal da Pensilvânia.

Responsabilizar gestores

"Todos os executivos da banca têm responsabilidade para com os seus clientes e empregados, e esta sentença reflete isso mesmo, que é importante o compromisso com a Justiça e a punição de todos os executivos que colocaram os seus interesses financeiros pessoais acima dos seus clientes e subordinados", acrescentou.

O caso foi investigado pelo FBI e, segundo a polícia, responde aos "esforços da administração Obama para combater a fraude financeira".

Só nos últimos três anos, o Departamento da Justiça norte-americano recebeu dez mil processos relacionados com este tipo de crimes.

Enviar um comentário