quinta-feira, 10 de janeiro de 2013

RR

Mais de 17 mil assinaram petição contra abate do cão que atacou bebé em Beja

Subscritores da petição contra "O abate do Pitbull 'Zico' e de todos os outros Zicos!" defendem que "um cão que nunca fez mal durante oito anos e atacou é porque teve algum motivo" e, como tal, "o abate não é solução". 
Mais de 17 mil pessoas já assinaram uma petição, disponível na internet, contra o abate do cão que atacou o bebé em Beja, provocando a sua morte dias depois.

O documento, dirigida ao Canil de Beja e à respectiva Veterinária Municipal, tem como objectivo "lutar contra o abate do cão 'Zico' que atacou uma criança em Beja e de todos os outros 'Zicos' espalhados pelo país", refere o texto, que às 20h00 desta quinta-feira contava com 17.510 subscrições.

Os subscritores da petição defendem que "um cão que nunca fez mal durante oito anos e atacou é porque teve algum motivo" e, como tal, "o abate não é solução!".

"Nestes casos há que investigar o que causou a reacção do cão (foi provocado ou não está a ser bem tratado, por exemplo) e pode optar-se pela reabilitação/treino do cão", referem.

Os defensores de 'Zico' sustentam que "se não se abatem pessoas por cometerem erros, por roubarem, por matarem, então também não o façam com os animais" e que "eles também merecem uma segunda oportunidade".

O menino de 18 meses foi atacado no passado domingo ao final do dia em casa, em Beja, por um cão, de nove anos, arraçado de pitbull, raça considerada potencialmente perigosa. O animal pertencia a um tio da criança, que vivia na mesma casa com os pais e os avós da vítima.
Enviar um comentário