sábado, 14 de dezembro de 2013

Governo grego fornece luz grátis para lutar contra os "Robin dos Bosques"

 

O Governo grego pretende fornecer energia grátis  às famílias incapazes de a pagar, numa medida de combate aos movimentos  sociais que estabelecem ligações ilegais e que agora desconfiam da nova  iniciativa do executivo.    

Com o frio do inverno a aproximar-se e ao fim de seis anos de crise,  os problemas de milhares de famílias gregas para fazer face à fatura de  eletricidade tornaram-se mais prementes. 
Em 2013, segundo dados da operadora grega de distribuição de eletricidade  HEDNO citados pela agência EFE, concretizaram-se 350.000 interrupções de  abastecimento por falta de pagamento pelos clientes. 
O facto levou vários movimentos sociais, imitando o lendário Robin dos  Bosques, a tomar a iniciativa de ligar de novo à rede os lares que haviam  ficado sem corrente. 
"Ao princípio não sabíamos como o fazer, mas os próprios eletricistas  que vão cortar a luz ensinaram-nos ", explicou Yorgos Bakayannis, da associação  "Den plirono" (Não pago), um dos grupos que, desde o início da crise, devolve  a corrente às casas e que protagonizou outras ações, como saltar as portagens  nas autoestradas. 
De acordo com informação do laboratório de ideias VaasaETT, a Grécia  está no topo dos países europeus cuja população é incapaz de pagar as suas  contas de eletricidade, com cerca de 32% de habitações. 
Para fazer frente a este problema social, o executivo grego comprometeu-se  a restabelecer o abastecimento elétrico a pessoas que não podem suportar  as faturas e que não foram, apesar disso, incluídas no programa social que  subsidia até 70% o custo da luz em 470.000 lares. 
Com a medida, as autoridades pretendem também travar o crescente roubo  de eletricidade e o aumento da contaminação atmosférica provocada pela queima  de objetos como meio de combater o frio. 
Perante a falta de eletricidade, muitas pessoas usam portas e todo o  tipo de móveis para fazer fogo, motivo pelo qual nas ruas das principais  cidades se sente o cheiro a madeira queimada. 
Segundo o ministro grego da Energia e Meio Ambiente, Yannis Maniatis,  na semana passada foi restabelecida a corrente em 4.000 casas, de forma  gratuita. 
Em declarações à agência espanhola EFE, o porta-voz do Ministério, Panayotis  Dimu, assegurou que os beneficiários do plano governamental serão "cerca  de 15.000 pessoas apoiadas regularmente nas cantinas sociais". 
Proporcionar-lhes eletricidade a custo zero representará para o Estado,  de acordo com Dimu, um gasto anual entre quatro a cinco milhões de euros,  que serão obtidos com a cobrança de 50 cêntimos euros extra por ano na fatura  da luz a oito milhões casas e empresas. 
O coletivo "Den plirono" desconfia que a medida não vai resolver esta  grave situação. 
"Não é verdade que pagando 50 cêntimos se vá resolver o problema, porque  desde 2010 que já temos um imposto na fatura da luz destinado a este fim  e não serviu para nada", assegura Bakayannis. 
Tão pouco parece convencido da medida o autarca de Salónica, o independente  Yannis Butaris, que a classifica de "estupidez", já que, em sua opinião,  não servirá para ajudar as famílias. 
 Só em Salónica, a segunda maior cidade da Grécia, há 15.000 lares sem  eletricidade. 
Lusa
Ps: É claroque a boa notícia são os "Robin dos boasque"...
Enviar um comentário