quinta-feira, 16 de outubro de 2014

Gira Latina

A primeira médica indígena da Bolivia

Nancy Kasei Janko de 23 anos de idade, é a primeira jovem médica indígena na Bolívia. É verdade! Mas então qual a admiração ? 
Na realidade até há pouco mais de meia dúzia de anos os indígenas, tanto na Bolivia como em diversos outros países da américa latina, não tinham sequer acesso à Universidade, quanto mais a licenciaturas, ainda para mais em Medicina !!! numa clara discriminação dos povos indígenas.
integração das comunidades indígenas uma nova realidade
Os tempos, as políticas "estan cambiando" e a história destes países reescreve-se e por isso pode-se agora dar conta de um feito como este, de uma jovem, índigena (assumidamente), poder exercer a profissão que escolheu e para a qual estudou, numa sociedade em que oportunidades e direitos são iguais, para todos e independentemente das suas origens. 
Nancy, ali a vemos de bata branca igual a tantas outras, no Hospital Juan Pablo Escalier. De estetoscópio ao pescoço, com as suas longas tranças tipicas e a "pollera" (saia rodada), tradicional das mulheres quéchuas, ou não tivesse nascido numa pequena comunidade quéchua do município de Yotala, perto de Sucre, capital de Chuquisaca bem no centro da Bolívia.
Simples e humilde, a jovem doutora diz-se "pronta a ajudar os que dela necessitem", não deixando de apontar o caminho profissional a seguir - "a especialização em pediatria". “Gosto muito de crianças e quero ajudar as mães a que cuidem bem deles e os façam crescer sadios”, vinca a doutora Nancy.
O seu tenperamento, estudiosa e dedicada como é, será uma grande médica, tendo já sobressaído em pediatria e medicina interna, assegura, o médico chefe, Porfirio Ecos acrecentando estarem satisfeitos com a jovem doutora.
Estudou medicina na Universidade pública San Francisco Xavier, fundada no já distante ano de 1624, em Sucre, sendo por isso a mais antiga da Bolívia e ate uma das mais velhas Universidades da América do Sul.
 
Nancy Kasai1
Nancy a primeira médica indígena, na Bolivia
A Bolívia é conhecida pela existência de qualquer coisa como 6,2 milhões de indígenas o que significa 62,2 por cento da totalidade dos seus habitantes. Na América Latina é aliás o país com maior indice de população autóctone, de acordo dados recentes da Cepal.
Os indígenas sempre foram pobres, vivendo na sua maioria da agricultura. E como os estudos superiores estavam vedados às novas gerações nada ou quase nada mudou, durante larquissimos anos. Mas é da luta pela inclusão social e por melhores condições de vida, que se conhece Evo Morales, que um dia chegaria ao Governo, contribuindo com as suas origens indigenas e o conhecimento da realidade, da esmagadora maioria da população. E dessa conjugação de factores com novas políticas que "el cambio se ha hecho na Bolivia". O caminho faz-se caminhando e um terceiro mandato do jefe de Estado, trará novas formas de estar e viver aos Bolivianos, independentemente de serem ou não indígenas, brancos ou mestiços na cor da sua pele...
Enviar um comentário