terça-feira, 20 de setembro de 2016


Au revoir! França é o primeiro país do mundo a banir produtos de plástico

O país prepara-se para dizer adeus aos copos, pratos e talheres de plástico a partir de 2020, depois de uma proposta aprovada pelo Governo francês.
França vai ser o primeiro país do mundo a banir utensílios de plástico, tais como copos, pratos e talheres, avança o The Telegraph.
A medida, aprovada recentemente pelo Governo francês, vai entrar em vigor em 2020 e só vê como exceção os produtos feitos totalmente a partir de materiais biológicos.
Esta proibição faz parte do programa “Energy Transition for Green Growth Act”, o mesmo que, em julho passado, também baniu os sacos de plástico.
No entanto, e como seria de esperar, nem todos ficaram contentes com esta nova legislação francesa, principalmente os produtores dessas embalagens.
A nova medida enfrenta, por exemplo, a revolta da Pack2Go Europe, uma organização sediada em Bruxelas que representa esses fabricantes.
“Queremos a atenção da Comissão Europeia para que faça a coisa certa e tome medidas legais contra a França por infringir a lei europeia”, afirmou Eamonn Bates, secretário-geral do grupo.
Bates argumenta ainda que não há provas de que o material feito de forma biológica tenha menos impacto do que os produtos de plástico.
Além disso, o representante considera que essas embalagens podem agravar ainda mais o fenómeno da poluição, já que as pessoas podem pensar que não têm necessariamente de as deitar nos locais apropriados, pelo facto de serem biodegradáveis.
Segundo o The Washington Post, a nova medida também não reúne consenso dentro do próprio país e um desses casos é Segolene Royal.
Royal considera que esta lei pode afetar as famílias carenciadas que usam este tipo de materiais descartáveis para economizar dinheiro.
Mesmo assim, o Presidente François Hollande declarou que a mudança é parte de um esforço para que a “França seja um exemplo em termos de redução da emissão de gases do efeito de estufa, diversificando o seu modelo energético e aumentando o uso de fontes de energia renováveis”.
ZAP / Hypeness
Enviar um comentário