(Lusa) -- A Câmara Municipal da Amadora vai lançar uma campanha que visa "desmistificar rumores e preconceitos" em relação à comunidade imigrante do município, formando "agentes anti-rumor" que possam ter um efeito multiplicador na disseminação da informação.

A presidente da autarquia, Carla Tavares, explicou hoje à Lusa que a campanha, denominada "Não alimente o rumor" e que vai ter como símbolo um papagaio, resulta de um desafio lançado pelo Conselho Europeu e arranca a 10 de setembro, assente nos resultados de um estudo que o ISCTE -- Instituto Universitário de Lisboa está a ultimar e que aborda questões como "a vivência e a empregabilidade" da comunidade imigrante em Portugal.

O estudo do ISCTE tem como ponto de partida alguns "rumores" ou preconceitos relativos à comunidade imigrante, como, por exemplo, "os imigrantes não querem e não gostam de trabalhar", "os imigrantes roubam trabalho aos portugueses", "os imigrantes vivem à custa dos subsídios e outros apoios do Estado", "os imigrantes estão sempre ligados à criminalidade" ou "crianças imigrantes só trazem problemas às escolas".